As praias constituem locais apetecíveis, principalmente quando o calor aumenta mas existem regras que devem ser cumpridas para garantir a sua segurança e o respeito pelos ecossistemas marinhos.


Sempre que for necessário utilize os contactos de emergência:












No atual contexto da pandemia por COVID-19, foram definidos procedimentos a ter em consideração na utilização das praias, de forma a não colocar em risco a estratégia adotada no controlo da pandemia, e permitir a todos ir à praia em segurança. Antes de se dirigir à praia consulte o estado de ocupação na APP Info Praia. Para mais informações consulte o site da Agência Portuguesa do Ambiente e o Plano de Contingência das Praias do Porto


Sabia que desde 2018 as praias têm uma nova bandeira?

As praias portuguesas ganharam em 2018 uma nova bandeira. Para além das conhecidas vermelha, amarela e verde que indicam o estado do mar, passou a ser obrigatória a instalação de duas bandeiras de cor vermelha e amarela que sinalizam a "zona recomendável para os banhistas entrarem na água". Assim, quando frequentar a praia fique atento e utilize apenas o local confinado entre as duas bandeiras para garantir que se encontra numa zona vigiada e sem agueiros.




O que fazer em caso de picada de peixe-aranha ou contacto com alforrecas?



Um simples passeio à beira-mar pode esconder alguns riscos, isto porque existe um pequeno peixe de cor acastanhada que normalmente se esconde debaixo da areia e quando é pisado injeta um veneno bastante doloroso.

Em caso de picada de peixe aranha deve:

  • Sair da água e chamar um nadador salvador;
  • Espremer a zona da picada;
  • Colocar água quente na zona afetada durante 15 a 30 minutos;
  • Desinfete o local da picada como se fosse uma ferida;
  • Dirigir-se às urgências caso sinta derrames, náuseas, vómitos ou inchaço na zona afetada;

Dentro de água também existem outros perigos, os mais conhecidos estão relacionados as águas-vivas, a que normalmente chamamos alforrecas ou medusas e também a caravela-portuguesa.




O que fazer em caso de picada de peixe-aranha ou contacto com alforrecas?


Em caso de contacto com uma água-viva deve:

  • Evitar coçar a zona atingida para não espalhar o veneno;
  • Evitar a utilização de água doce, álcool ou amónia;
  • Evitar colocar ligaduras;
  • Lavar cuidadosamente com a própria água do mar;
  • Se possível, aplique bicarbonato de sódio misturado em partes iguais com água do mar;
  • Aplicar frio (água do mar gelada ou bolsas de gelo) no local atingido para aliviar a dor;
  • Tomar um analgésico para aliviar a dor;
  • Aplicar uma camada fina de pomada própria para queimaduras.

Em caso de contacto com uma caravela-portuguesa deve:

  • Evitar esfregar ou coçar a zona atingida para não espalhar o veneno;
  • Evitar água doce, álcool ou amónia;
  • Evitar colocar ligaduras;
  • Lavar cuidadosamente com a própria água do mar;
  • Aplicar vinagre na zona atingida
  • Aplicar bandas quentes ou água quente para aliviar a dor;
  • Consultar assistência médica o mais rapidamente possível.

Para mais informações, por favor, consultar este folheto ou consultar o site da Autoridade Marítima Nacional.




Correntes marítimas: como reagir?



Os agueiros são correntes muito fortes que surgem normalmente junto a molhes, afloramentos rochosos ou ao longo das praias. Estes fenómenos naturais podem arrastar banhistas para zonas mais afastadas e profundas das praias, podendo inclusivamente causar a morte por afogamento. É assim importante saber que se for surpreendido por um agueiro deve evitar entrar em pânico, ou vencer a corrente. Deve flutuar, acenar para pedir auxílio e nadar lateralmente até deixar de sentir o efeito da corrente.

Para mais informações consultar o site da Autoridade Marítima Nacional.

Anexos
Clique no ficheiro para fazer o download