O acentuado crescimento do tecido urbano e a ocupação gradual das linhas de água e áreas adjacentes introduziu alterações muito significativas no ciclo hidrológico urbano, que se manifestaram também na perda da qualidade da água.


A Águas do Porto, EM tem movido esforços em várias vertentes no sentido de identificar e eliminar os focos de poluição, nomeadamente no que concerne a:

  • Inspeção visual, através do Guarda-Rios;
  • Manutenção e limpeza dos leitos e margens;
  • Verificação e promoção da correta ligação das redes prediais às redes públicas de águas residuais e águas pluviais (eliminação de afluências indevidas);
  • Manutenção preventiva da rede de águas residuais;
  • Substituição e instalação da rede de águas residuais domésticas.


A melhoria da qualidade da água e proteção dos rios e ribeiras que atravessam a cidade também depende da ação individual. Assim, devem adotar-se comportamentos mais conscientes e implementar as seguintes medidas: 


  • Separação das redes prediais de saneamento e águas da chuva: o encaminhamento das águas residuais (saneamento) para a rede pública de águas pluviais (chuva) ou a situação contrária, contribuem ativamente para o mau desempenho das redes de drenagem, nomeadamente para a poluição das massas de água da cidade e para a ocorrência de obstruções e inundações ao nível predial e público respetivamente. Se a rede de saneamento está ligada às águas pluviais, o esgoto produzido irá parar ao rio, em vez de ser tratado na ETAR. Se por outro lado, a rede de água pluviais está ligada à rede de saneamento, a água da chuva fica contaminada e é necessário tratar um maior volume de água na ETAR. 


  • Adequada utilização da rede predial de saneamento: devem ser encaminhadas para a rede de saneamento exclusivamente águas residuais (água de origem de chuveiros, sanitas, máquinas de lavar, etc), não devendo ser depositados qualquer tipo de objetos ou óleos alimentares ou de automóveis. 


  • Evitar a utilização de detergentes na lavagem de pátios e ruas, assim como a lavagem de automóveis na rua: assim como os resíduos também as águas de lavagem dos passeios, ruas e automóveis podem ir parar aos rios e mares. Nas sarjetas e sumidouros só deve entrar água da chuva, devendo por isso ser evitada a utilização de detergentes nas lavagens, dando preferência a detergentes biodegradáveis. Quanto à lavagem dos automóveis, se esta for realizada em locais apropriados as águas de lavagem são encaminhadas para tratamento na ETAR e não para os rios. 


  • Deposição de resíduos nos locais apropriados, promovendo sarjetas e sumidouros livres de resíduos: os resíduos que são indevidamente depositados na rua, como por exemplo, beatas de cigarros e embalagens, acabam por ser transportados pela água da chuva até os rios e mares, provocando problemas ambientais graves. Por outro lado, certos tipos de resíduos podem ainda causar obstruções/entupimentos das sarjetas e sumidouros, impedindo o escoamento da água em caso de precipitação.


  • Correto encaminhamento dos efluentes e resíduos de obras: nas redes de águas pluviais só deve entrar água não contaminada. O encaminhamento de efluentes ou resíduos produzidos em obra para esta rede, para além de poluir os rios e mares, põe em causa o bom funcionamento e a capacidade de drenagem da rede pública de águas pluviais.


  • Correto encaminhamento dos resíduos de limpeza de fossas: os resíduos resultantes da limpeza de fossas ou do desentupimento da rede de saneamento devem ser corretamente encaminhados. A sua deposição em sarjetas, sumidouros ou caixas da rede de águas pluviais provoca a poluição das linhas de água.


  • Limpeza e manutenção da rede predial de águas da chuva: para além de garantir o correto escoamento das águas da chuva e evitar inundações, a limpeza da rede predial de águas pluviais (caleiras e grelhas) evita que os resíduos que não foram colocados em locais apropriados cheguem aos rios.


  • Proteger as linhas de água, não depositando resíduos nos seus leitos e margens: a deposição de resíduos nas margens e nos leitos provoca poluição direta do rio, que os transporta até ao mar. É ainda de salientar que resíduos de maiores dimensões, como por exemplo, colchões, sofás ou eletrodomésticos, causam obstruções nos troços entubados, podendo provocar inundações.


Porque acreditamos que o contributo de todos é fundamental para melhorar a qualidade das massas de água e seus ecossistemas, bem como para melhorar a qualidade de vida de todos os nossos clientes e dos que trabalham ou visitam a cidade do Porto, se vir alguma descarga indevida na rede de águas pluviais, ribeiras, rios ou mar no Município do Porto, agradecemos que por favor nos contacte, enviando uma fotografia relativa à situação, indicando a rua e o nº da porta do prédio mais próximo,   para que possamos atuar de imediato.


Seja um Agente da Água e contacte-nos através de: