Plano de Segurança da Água
A Águas do Porto, EM, encontra-se atualmente a desenvolver e implementar o Plano de Segurança da Água do Porto (PSA)

O objetivo estratégico com o desenvolvimento deste Plano é assegurar sistematicamente a Segurança e a Aceitabilidade do abastecimento de água para consumo humano, em termos de Quantidade e Qualidade na cidade do Porto.

O PSA visa identificar devidamente todos os eventos perigosos possíveis no sistema de abastecimento de água e respetivos perigos potenciais deles decorrentes. Estes perigos são avaliados tendo em consideração a probabilidade da sua ocorrência, bem como o nível de severidade que detêm para a segurança do sistema, que, em conjunto, definem o risco associado a cada evento/perigo. Os diversos eventos perigosos e respetivos perigos identificados são hierarquizados tendo em conta a priorização do seu risco associado, definindo-se, assim, os pontos críticos do sistema, sobre os quais incide um estudo mais exaustivo e uma maior preocupação por parte da Entidade Gestora. 

Derivado da eficiência das diversas medidas de controlo que a Águas do Porto, EM, tem implementadas no sistema de abastecimento de água e da criticidade dos perigos identificados, o PSA vem definir diversos planos de melhoria para colmatar as necessidades do sistema, contribuindo, assim, para o aumento da segurança e da confiança do produto final, a Água. 

Com a implementação do PSA, a Águas do Porto, EM, visa alcançar inúmeros benefícios, dos quais se destacam:
  1. Proteção da saúde pública garantindo água com elevada qualidade e segurança;
  2. Aumento do nível da confiança e satisfação dos consumidores e da aceitabilidade do produto final Água;
  3. Otimização dos procedimentos de manutenção das infraestruturas do sistema de abastecimento de água; 
  4. Assegurar a redundância do sistema, ao nível das alternativas existentes para minimizar o risco de falta de água em qualquer ponto do mesmo;
  5. Apoio na priorização dos investimentos da empresa associados à adução (em baixa), ao armazenamento e à distribuição de água, ajustando-os às necessidades atuais e futuras do sistema;
  6. Redução de custos e melhor aproveitamento dos recursos existentes;
  7. Melhoria contínua - "hoje melhor que ontem, amanhã melhor que hoje".