Qualidade da Água

A "Águas do Porto" tem como um dos seus principais focos de atuação, garantir permanentemente a qualidade da água que distribui e obter dos cidadãos o reconhecimento dos elevados padrões de qualidade da água que lhes é fornecida.

Para tal esta empresa integra na sua estrutura, desde os anos 40, um laboratório de análises que obteve em Junho de 2000, o reconhecimento formal da sua competência para a realização de ensaios pelo Instituto Português de Acreditação (IPAC), assegurado pela implementação dum sistema da garantia da qualidade e auditado regularmente por equipas de auditores/avaliadores devidamente credenciados. O laboratório faz parte também da lista de laboratórios aptos no âmbito do Dec.Lei nº 306/2007 de 27 de Agosto, emitida pela ERSAR.

O laboratório de análises encontra-se com um vasto conjunto de actividades acreditadas (colheitas de amostras e métodos de ensaios) de acordo com a Norma NP EN ISO/IEC 17025, tendo-lhe sido atribuído pela Entidade Acreditadora Portuguesa (IPAC) o Anexo Técnico de Acreditação o nº L0252, para vários tipos de águas.

A acreditação das colheitas e dos métodos de ensaios realizados pelo laboratório é condição essencial para credibilizar, reconhecer a competência técnica e conferir transparência a todo o processo de avaliação do controlo de qualidade das águas analisadas, permitindo à Águas do Porto atuar sempre em concordância de modo a proteger a Saúde Humana.

A atividade principal do laboratório de análises consiste no controlo da qualidade da água dos sistemas de abastecimento para consumo humano e dos sistemas de águas residuais. No entanto, analisa também águas de outra proveniência, nomeadamente águas balneares no âmbito do projeto da Bandeira Azul e também águas das ribeiras no âmbito da requalificação das Ribeiras do concelho do Porto.

Dá ainda apoio a consumidores e clientes e colabora ainda com a Autoridade de Saúde e Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos, ERSAR.


Águas de Consumo
Para obtenção de uma água de qualidade adequada ao consumo humano e tendo por base a atual Lei da Água, Dec.Lei 306/07 de 27 de Agosto, a Águas do Porto controla a qualidade da água, não só no sistema predial, mas também no sistema de distribuição pública.

Controlo analítico

:: Sistemas de Distribuição Predial

Nos sistemas prediais esse controlo é feito através dum Programa de controlo de Qualidade da Água, aprovado pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos, ERSAR, que cumpre na integra o número de amostras (colhidas nas torneiras das redes prediais escolhidas aleatoriamente), a sua periodicidade e o número de parâmetros analíticos.
O controlo é efetuado em amostras de água colhidas nas torneiras normalmente utilizadas pelos consumidores, no interior dos prédios (redes prediais), tais como escolas, hospitais, cafés, restaurantes, hotéis e edifícios particulares.
Assim, os consumidores devem facultar a entrada dos Técnicos do Laboratório da Águas do Porto, devidamente identificados, que efetuam a colheita de água para análise.

Não é possível garantir que a qualidade da água da rede pública que chega ao contador se mantenha no interior do prédio, uma vez que pode ser afetada pelas condições em que se encontra a rede do prédio e do próprio apartamento, condições essas que são da responsabilidade dos proprietários/utilizadores.
Consulte aqui os resultados obtidos desde 2008 em amostras colhidas nas redes prediais, de água destinada a consumo humano.

Controlo Analítico

:: Sistema de Distribuição Pública

No sistema de distribuição pública o programa de controlo operacional foi implementado de forma a garantir uma observação permanente e contínua. A recolha das amostras é efetuada nas adutoras, fontes, fontanários, fins de rede e condutas de ligação dos reservatórios à rede, com uma dispersão adequada à avaliação da qualidade da água em toda a rede de distribuição pública.
Consulte aqui os resultados obtidos desde 2008 em amostras colhidas na rede pública, de água destinada a consumo humano.

Prestação de Serviços

O laboratório de análises da Águas do Porto presta serviços ao público em geral no controlo de qualidade de águas naturais (superficiais, tratada e não tratada) e de águas residuais domésticas.
No caso de pretender requisitar estes serviços deve contatar diretamente o laboratório de análises que o elucidará sobre o modo de proceder para a realização dos ensaios pretendidos.

Boas práticas do consumidor

> Deixe correr a água durante alguns minutos antes de a consumir :

- se houver alguma turvação na água ;

- se tiver estado ausente de casa durante algum tempo, para que a água seja renovada;


> Deixe repousar a água por alguns minutos antes de a consumir :

- se a água da torneira tiver uma cor branca, normalmente devido à existência de ar dissolvido na água. Caso a situação persista contacte a Águas do Porto;


> Faça uma correta manutenção da rede predial para que a qualidade da água não sofra alterações devido à corrosão das tubagens, soldaduras e acessórios;


> Certifique-se que os materiais utilizados nos sistemas de abastecimento da rede predial são os indicados para esse fim;


> Lave/desinfete periodicamente o crivo que se encontra no bucal da torneira da cozinha, desenroscando-o, mergulhando-o em água com um pouco de lixívia (cerca de 30minutos) e lavando-o com uma escova;


> Não beba água que circule na rede de água quente uma vez que a temperatura favorece a corrosão e o desenvolvimento de microrganismos;


> Não instale nenhum sistema de purificação de água (ex: filtros), sem previamente contactar a Águas do Porto;


> Garanta que água não tratada, proveniente de poços, furos, minas, etc., não circula nas tubagens de água da habitação


> Se no seu prédio existir reservatório/cisterna deverá cumprir o artigo 119º do Regulamento em vigor na Águas do Porto e seguir as indicações que vêm referenciadas em "Desinfeção de reservatórios/cisternas"

Reservatórios - Boas práticas

Se na sua casa houver reservatório/cisterna tenha em atenção o seguinte :

- instale-o sempre em local de fácil acesso, limpo e arejado;
- nunca o deixe sem tampa adequada ou devidamente protegido.

Lave-o pelo menos uma vez por ano da seguinte forma:

- esvazie-o totalmente, retirando todos os detritos e lodo que eventualmente contenha;
- escove cuidadosamente as paredes, o fundo e a abertura, utilizando preferencialmente, escovas só para esse fim;
- enxague todo o interior e esvazie-o de novo;
- proceda à desinfeção do reservatório/cisterna:
. deixe entrar água limpa até cerca de metade da sua altura;
. junte hipoclorito de sódio a 14% (à venda em drogarias). Atendendo à capacidade do reservatório/cisterna, adicione por cada m3 de água, 20 ml do referido hipoclorito;
. encha completamente e mantenha em repouso, sem consumir, durante pelo menos meia hora;
. volte a esvaziar, abrindo todas as torneiras de serviço e enxague para eliminar completamente o hipoclorito.
- Após esta operação encha de água o reservatório/cisterna. Cerca de, pelo menos, uma hora após enchimento proceda a colheitas para análise;
- Para efetuar a colheita de uma amostra de água para análise, é necessário instalar uma torneira de ½ " na tubagem de saída de cada reservatório/cisterna, a uma altura aproximada de 0.5 metro do solo.

Análises a realizar se outras indicações não forem dadas:

- Análises físico-químicas: pH, condutividade, turvação, cloro livre em campo;
- Análises microbiológicas: nº colónias a 22 ºC, nº colónias a 37 ºC, bactérias coliformes, Escherichia coli (E. coli), enterococos e Clostridium perfringens (incluindo esporos).
- A amostragem, bem como as análises, deverão ser executadas por laboratório acreditado para o efeito (NP EN ISO/IEC 17025).
- A pesquisa de Laboratórios de Ensaios poderá ser efetuada em http://www.ipac.pt/pesquisa/acredita.asp
- No caso dos resultados serem necessários para a obtenção da Licença de Habitabilidade, os mesmos deverão ser apresentados sob a forma de boletim e entregues à Empresa Águas do Porto;
- No caso anterior ou noutras situações, se os resultados não estiverem em conformidade com a legislação em vigor, respeitante à qualidade da água para consumo humano (Decreto-Lei 306/2007, de 27 de Agosto), deve-se efectuar uma lavagem suplementar e repetido o respectivo controlo analítico.
Para qualquer esclarecimento não hesite em contactar o Laboratório de Análises da Águas do Porto (225 190 835)

Dureza da Água


A dureza média da água distribuída na cidade do Porto é de 10ºF ( ó 100mg/l CaCO3)


Tabela de conversão das diferentes unidades de expressão da dureza da água

Graus franceses (ºF)

Graus ingleses (ºE)

Graus alemães (ºD)

mg/L Ca

millimol/L Ca

mg/L CaCO3

Graus franceses (ºF)

1

0,7

0,56

4

0,1

10

Graus ingleses (ºE)

1,43

1

0,8

5,73

0,143

14,3

Graus alemães (ºD)

1,79

1,25

1

7,17

0,179

17,9

mg/L Ca

0,25

0,175

0,14

1

0,025

2,5

millimol/L Ca

10

7

5,6

40

1

100

Água Residual Doméstica

Controlo analítico

O controlo analítico para toda a rede de saneamento visa a caracterização química das águas residuais, bem como a deteção de descargas ilícitas.
Os locais escolhidos encontram-se distribuídos pelas bacias mais representativas da Cidade, localizados o mais a jusante possível de cada uma delas. No âmbito da fiscalização do funcionamento das ETAR´s procede-se à caracterização analítica do efluente bruto, à entrada de cada instalação e da água tratada, nas respetivas saídas.

Prestação de serviços

O laboratório de análises da Águas do Porto presta serviços ao público em geral no controlo de qualidade de águas naturais (superficiais, tratada e não tratada) e de águas residuais domésticas.
No caso de pretender requisitar estes serviços deve contatar diretamente o laboratório de análises que o elucidará sobre o modo de proceder para a realização dos ensaios pretendidos.